29 de nov de 2011

Palestra sobre o trabalho da AJIDEVI

No dia 29/11, as turmas de pedagogia PED 0029 e PED 0339 puderam conhecer o belíssimo trabalho realizado na Associação Joinvilense para Integração dos Deficientes Visuais – AJIDEVI pelo empresário e fotógrafo Luiz Hille.

Em seu emocionante relato, o empresário compartilhou as experiências adquiridas nas aulas de fotografia ministradas semanalmente aos deficientes visuais atendidos pela Associação. 

Nas aulas, são apresentadas aos alunos técnicas de fotografia, conhecimentos sobre a câmera fotográfica e aulas práticas em situações de campo, onde os alunos produzem as imagens que são captadas pelos seus sentidos.

Após realizado o trabalho, as fotografias são reveladas e o professor apresenta oralmente aos alunos o resultado obtido.

Os acadêmicos participaram de vivências e tiveram acesso às fotografias produzidas pelos deficientes visuais.

Maiores detalhes podem ser conhecidos no blog http://www.fotocegos.blogspot.com/.




Para baixar as fotos, clique aqui.

Livros à solta na cidade viram bem comum

Fonte:http://blog.educacaoadventista.org.br

A Blibioteca Municipal de Joinville "esqueceu" em vários pontos da cidade, mais de 70 títulos de literatura. Trata-se do Projeto "Soltos na Cidade", que pretende deixar em praças, pontos de ônibus, bares ou qualquer outro lugar, livros que podem ser levados para casa e apreciados sem compromisso. A ideia é que o leitor "esqueça" também o livro, depois de lido, passando adiante a obra e o despertar da leitura.
Soltos na Cidade é uma das ações do município que fazem parte do Programa Joinville, Cidade dos Livros e, segundo, Alcione Pauli, coordenadora da Biblioteca, está apenas no início. A ideia é que muitos livros que já estejam catalogados e com exemplares sobrando, façam parte do projeto. Escritores que fazem parte da Confraria do Escritor já doaram livros seus para o "Soltos na Cidade".
A pessoa que pegar o livro, lerá na primeira página o seguinte texto:
"Esse livro chegou até você. Ele não pertence a ninguém. Está Solto na Cidade! Após ser lido, ele poderá ser deixado (esquecido) em praças, pontos de ônibus, bares ou qualquer outro local público, para que seja achado por alguma pessoa interessada em lê-lo. Faça o mesmo, libere os seus próprios livros para que outros possam aproveitá-los! Caso queira, mande-nos um e-mail com o seu comentário a respeito do projeto para biblioteca@joinville.sc.gov.br ou ligue (47) 3422-7000. Boa leitura!"
É possível fazer doações para o projeto, desde que o livro não esteja rasgado ou rasurado. Os contatos são os mesmos do texto acima.


Fonte: http://www.portaljoinville.com.br

1º Encontro de Combate as DST's /AIDS

Transformar o 1º de dezembro em Dia Mundial de Luta Contra a AIDS foi uma decisão da Assembléia Mundial de Saúde, em outubro de 1987, com apoio da Organização das Nações Unidas - ONU.
A data serve para reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV/AIDS.

O principal objetivo é prevenir, reduzir e eliminar o preconceito e a discriminação associados à AIDS.

Com este propósito, estaremos reunindo forças:
Dia 3º de Dezembro na realização de um grande evento a ser realizado no ginásio do SESC das 9h00 às 11h30.

Realização: SESC -  Pro-Rim - SENAC  -  Instituto Federal.

AGENDA:
Informações e Orientações sobre:
        Prevenção das doenças sexualmente transmissíveis;
        Direito
        Deveres
        Preconceitos
        Principais DSt’s. 

Atividades Paralelas:
        Teste de glicemia
        Verificação de Pressão arterial
        Teste de Acuidade Visual
        Quick massagem

Oficina sobre:
        Primeiros socorros
        Os principais acidentes de transito

SESC Joinville
Telefone para contato: (47) 3441.3355
E-mail: gicerleis@sesc-sc.com.br
sesc-sc.com.br

25 de nov de 2011

Aniversário do professor Roberto

Dia 26 de novembro é o aniversário do professor Roberto Machado Gonçalves. Receba nosso carinho e nossa homenagem nesta data especial.


24 de nov de 2011

Natal AUPEX


Professores e alunos,


Participem conosco da celebração do Natal no polo AUPEX e tragam seus filhos, sobrinhos ou vizinhos para campartilharem desta grande festa. Haverá muitos presentes, apresentações de peças teatrais, pinturas de rosto, penteados malucos, lanches gostosos e, claro, não poderia faltar o nosso querido Papai Noel.

                Contamos  com a participação de todos para coroarmos nosso fim de ano com grande alegria festejando todos juntos esta data tão maravilhosa que é o Natal.

Fotos da 1ª SIPATEX


Para baixar as fotos, clique aqui.

Você sabia?

O descarte incorreto do óleo de cozinha pode estar relacionado a falta de informação da população ou pela inexistência de mecanismos de coleta desse resíduo.
Apenas um litro de fritura despejado no ralo da pia, pode contaminar até um milhão de litros de água, que seria o suficiente para a sobrevivência de uma pessoa durante 40 anos. Portanto é preciso a onscientização de todos quanto a este problema, e é também notável saber que, este resíduo, combinado com outras substâncias químicas, gera o sabão ecológico.

Compostagem:

Baixe aqui o folder sobre compostagem e fique sabendo como proceder.

Socialização de prática em Segurança no Trabalho

Os alunos da turma SEG 0022, orientados pelo professor Jonas fizeram apresentações de trabalhos sobre doenças sexualmente transmissíveis e sobre drogas lícitas e ilícitas.


Para baixar as fotos, clique aqui.

Matrículas de licenciatura a distância estão consolidadas



fonte:http://jamilealmeida.blogspot.com



As matrículas em cursos de licenciatura a distância cresceram e se consolidaram na década 2000-2010, segundo mostram os dados do censo da educação superior realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). No período, passaram de 1.682 (em 2000) para 426,2 mil em 2010. De acordo com o censo, a ampliação ocorre tanto na quantidade de matrículas como na abrangência geográfica. Se em 2000, apenas quatro estados ofereciam cursos de licenciatura a distância – Mato Grosso com 813 matrículas, seguido de Alagoas (300), Ceará (299) e Santa Catarina (270), em 2010, as 27 unidades da Federação registraram mais de 420 mil matrículas. O mapa do censo também mostra que a evolução do ingresso de estudantes em licenciaturas a distância se deu de forma diversa entre as cinco regiões e entre os estados. Na região Norte, por exemplo, o Pará é o primeiro estado a fazer matrículas e isso só ocorre em 2004, enquanto Tocantins ingressa em 2005. Na região, o Acre só faz matrículas em 2009.

Embora o Norte tenha entrado mais tarde com oferta de matrículas nas licenciaturas a distância, a região fechou 2010 com 38,5 mil universitários em cursos distribuídos entre os sete estados. O Sudeste, que hoje ocupa o primeiro lugar entre as regiões na oferta de matrículas nessa modalidade – com 167,1 mil –, começou a década sem oferta. São Paulo, por exemplo, abriu matrículas apenas em 2005 e em 2010 passou a ocupar a primeira posição entre as 27 unidades da Federação, com 74,6 mil universitários cursando licenciaturas a distância.


Fonte: Correio Braziliense, 22/11/2011 - Brasília DF 

22 de nov de 2011

Abertura do Natal dos Sonhos de Joinville será nesta quinta-feira

fontehttp://4.bp.blogspot.com/_xVOkx9Nr3JA/SxFLF2LVErI/AAAAAAAACDo/cohPGt83U6A/s1600/DSC00525.JPG


Nesta quinta-feira (dia 24), acontece a abertura do Natal dos Sonhos de Joinville, com diversas atrações a partir das 20 horas, na Praça Dario Sales, no centro da cidade. O Natal dos Sonhos é uma realização da Prefeitura de Joinville e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), com apoio do Governo do Estado, das igrejas, entidades, instituições e empresas.

Entre as atrações programadas está apresentação de um teatro de sombras, chamado de Auto Luminoso de Natal, vindo de Porto Alegre (RS). Uma projeção do mapa do Oriente Médio apresenta o cenário do nascimento de Jesus Cristo.

Um dos pontos altos da abertura será a apresentação do espetáculo musical “Presente de Natal” que tem encantado plateias de todas as idades em eventos empresariais e apresentações em praças e grandes espaços nas cidades brasileiras.

Nesta apresentação, o Papai Noel apresenta um repertório repleto de canções de natal, compostas especialmente para esse espetáculo. Clássicos, como Jingle Bells, Papai Noel, Meu Sapatinho, as belíssimas White Christmas e Noite Feliz receberam novos arranjos e ganharam aquele sabor bem brasileiro.

Além destas atividades, haverá a tradicional chegada do Papai Noel. “Estamos resgatando o verdadeiro sentimento do Natal, com demonstrações do nascimento do Menino Jesus e levando atrações para todos os bairros de Joinville. A programação foi cuidadosamente planejada para que a maior cidade de Santa Catarina tenha um grandioso Natal”, destaca o presidente da CDL Joinville, Carlos Grendene.

Iluminação especial

A Joinville terá o mais luminoso Natal de sua história. A Prefeitura de Joinville está investindo R$ 1 milhão na iluminação de Natal. A instalação destes equipamentos decorativos começou em 24 de outubro.

A iluminação temática natalina foi montada pela empresa responsável pela iluminação pública da cidade, Consórcio SDK, sob fiscalização da Seinfra. Ao todo, 23 bairros da cidade, incluindo fachada da Prefeitura, Estação Ferroviária, Mercado Público, Passarela da JK, Moinho, Pórtico e o Parque da Cidade, já receberam as figuras decorativas natalinas.

Pelos bairros serão instalados 300 tipos de figuras temáticas e 70 pinheiros luminosos que enfeitarão os cruzamentos e praças, onde há maior trânsito de veículos ou de pedestres.


Programação

Durante todo o mês de dezembro, várias atividades vão ser realizadas à tarde e à noite no palco da Praça Nereu Ramos, no centro da cidade. O primeiro evento será no dia 1º de dezembro (quinta-feira) com apresentações a partir das 17 horas.

Os bairros também vão ser contemplados com a apresentação de grupos teatrais e de coral em palcos montados próximos das Secretarias Regionais do Município. A abertura das apresentações nos bairros acontece neste sábado (dia 26/Nov), às 19h30min, próximo da Rotatória do Adhemar Garcia, com a apresentação do programa Música na Escola e Terno de Reis, e sob a responsabilidade da Secretaria Regional do Fátima.

Mostra Cinevídeo Joinville 2011 começa nesta quinta-feira, dia 24

De um lado, produções com muita criatividade e poucos recursos. De outro, curtas mais convencionais e criados com profissionalismo. A Mostra Cinevídeo de Joinville 2011 promove entre os dias 24 e 27 de novembro um encontro de linguagens feito por quem tem habilidades ou não no comando de uma câmera – mostras nacional e catarinenses, oficina de crítica de cinema e o fórum setorial de cultura audiovisual integram a programação gratuita no Sesc.

Na quinta-feira, às 21h30, o GNC Garten sedia a abertura do evento com o longa-metragem “Elvis e Madona”. Escrito e dirigido por Marcelo Laffite, a comédia retrata o romance entre um travesti chamado Madona (Ígor Cotrim) e uma lésbica chamada Elvis (Simone Spoladore), que sonham em ascender na vida, mas vivem numa realidade medíocre. “Elvis e Madona” chega a Joinville depois de ter passado por festivais no Rio de Janeiro, São Paulo, Nova York, Paris, Oslo e Varsóvia. Após a exibição, o diretor fará um debate sobre a produção.
A oficina “Da Máquina de Escrever à Blogsfera: Metamorfoses da Crítica de Cinema” acontece na sexta-feira, às 14h, com a presença do jornalista e tradutor José Geraldo Couto. O convidado abordará sua experiência desde o trabalho durante mais de 20 anos na redação da Folha de São Paulo até a criação do blog “No Cinema”, hospedado no site do Instituto Moreira Salles.
Ainda na sexta-feira, doze curtas-metragens compõem a Mostra Nacional. As produções vem de São Paulo, Paraíba, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, apresentando um panorama sobre a produção audiovisual brasileira. Há também um curta norte-americano, “O Quarto”, e a presença do diretor Ricardo Weschenfelder, que apresentará “Se Eu Morresse Amanhã”. As sessões começam às 20h, no Sesc.
Na tarde de sábado, a política audiovisual de Joinville será discutida no Fórum Setorial de Cultura, das 16h. À noite, às 20h, a Mostra Competitiva Catarinense de Curtas reúne seis produções de Joinville, Florianópolis e São José. O evento encerra no domingo a partir das 19h com a Mostra Competitiva Catarinense de Documentários e a exibição do longa-metragem “Ditadura Reservada”, de Fabrício Porto, um resgate de histórias de quem vivenciou a ditadura militar na região Norte de Santa Catarina.

21 de nov de 2011

Aniversário da professora Daniela

Ontem, dia 20 de novembro, fez mais um aniversário a professora Daniela Cristina Martins. 



17 de nov de 2011

Papai Noel chega dia 17 no Mueller

Acontece dia 17/11/2011

A Chegada do Papai Noel do Shopping Mueller promete muitas emoções e alegrias. O evento, que já é tradição em Joinville e região está marcado para o dia 17 de novembro, a partir das 20 horas, na entrada principal do Mueller.
O espetáculo fica completo com a apresentação da Comunidade Siloé com a peça musical “Simplesmente Natal”. Realizado há anos na comunidade do bairro Anita Garibaldi, o grupo traz o nascimento de Jesus e o verdadeiro sentido da data para deixar a Chegada do Papai Noel do Shopping Mueller ainda mais emocionante.
Durante todo o espetáculo haverá uma voluntária da Comunidade Siloé realizando a interpretação de linguagem de sinais para os clientes com necessidades auditivas.
Outra atração da noite será o tradicional Show Pirotécnico, com muitos fogos de artifícios iluminando o céu de Joinville. Como acontece todos os anos, a surpresa sobre como será a chegada do Bom Velhinho vai ser mantida até a hora da aparição. E não é para menos: o Papai Noel já chegou de helicóptero, desceu de tirolesa e até de rapel na fachada do shopping. Quando ele pisar novamente o palco, estará aberta oficialmente a temporada natalina no Mueller.

1ª SIPATEX

1ª Semana Interna de Prevenção de acidentes do trabalho da Aupex



Realização:
Acadêmicos do Curso Superior de Tecnologia em Segurança do Trabalho da Uniasselvi.
Data: 22/11/2011
Horário: 8h às 12h

Apresentação
Tudo que se faz em matéria de segurança e higiene do trabalho constitui, na verdade, uma fonte de experiência e conhecimentos para a preservação do meio ambiente em geral. Daí a importância crescente da segurança no trabalho e o caráter social e humano de que se reveste tal sistematização de normas.

Amparada por legislação específica a partir de 1944 e contemplada nos direitos sociais constitucionais, a segurança no trabalho no Brasil desdobra-se nas atividades das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPA), disseminadas no cenário empresarial e no universo acadêmico.

Sabemos que a segurança no trabalho se tornou no século XXI algo de extrema importância na diminuição do grande custo social que hoje preocupa pessoas, empresários e a sociedade como um todo, por isso não vemos outra saída que não seja a conscientização de todos no sentido de diminuir os índices de acidentes no trabalho e nas ações que envolvam a preservação do meio ambiente que hoje apresenta dados preocupantes e que dizem respeito a nós e a toda a comunidade mundial

E-mail do Profº Luiz Sage
luizsage@yahoo.com.br

Envie sugestôes

Palestra: Vender é uma arte

Nos dias  01/11 e 04/11, o professor Jonatas Kons realizou uma palestra como Atividade Acadêmica para os alunos das turmas de Logística LOD 0112, LOD 121 e LOD 80. A palestra intitulada "Vender é uma arte" teve como objetivo mostrar aos alunos técnicas de venda como diferencial em sua vida profissional e pessoal.  Usando como o exemplo a campanha AMIGO AUPEX em que os alunos da instituição são estimulados a indicarem novos alunos e recebem um bônus, o professor Jonatas enfatizou que o mais importante é que com esta ação podem estar fazendo a diferença na vida de alguém através do incentivo ao estudo e, consequentemente, a uma vida melhor.


Turma do Serviço Social visita o Abrigo Infanto-Juvenil e a Penitenciária industrial

Objetivando conhecer o processo de trabalho do Assistente Social, a instrumentalidade e as legislações sociais do Serviço Social que regem as instituições a turma de Serviço Social - SESO571 - no pólo Aupex – Uniasselvi, Joinville, visitou: o Abrigo Infanto-Juvenil e a Penitenciária industrial.
 Os acadêmicos, adquirido conhecimento teórico e prático cumprem desta forma,  um dos princípios da formação profissional: Flexibilidade e dinamicidade dos currículos plenos expressa na organização de disciplinas e outros componentes curriculares.
Tais visitas foram planejadas, após a execução; fora avaliada pelos acadêmicos, conforme anexo dos relatos. 



PROJETO
VISITA NA PENITENCIÁRIA INDUSTRIAL JUSCEMAR CESCONETO

Prof. JACIANE GERALDO DOS SANTOS

CentroUniversitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI

SERVIÇO SOCIAL (0571)
DIA 06/10/2011

1-IDENTIFICAÇÃO
1.1 ENDEREÇO
Rua: Boehmerwald, 4961
Bairro: Parque Guarani
CEP: 89231-400
Fone: 40099600

1.2 A Penitenciária industrial utiliza ou se beneficia das seguintes Leis:
ü     Lei de Execuções Penais (LEP)
ü     Código Penal (CP)
ü     Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).
2 –APRESENTAÇÃO (o que a ONG executa);
A Penitenciária Industrial de Joinville foi desenvolvida pelo Estado de Santa Catarina para a efetiva reintegração dos apenados através do trabalho e estudo, com o envolvimento da comunidade, concedendo condições dignas e adequadas o cumprimento da pena, dentro das obrigações impostas ao Estado pela Lei de Execuções Penais.  Lei. 7.210/84
 3- INTRODUÇÃO
O sistema carcerário no Brasil é falido. Isto é ouvido e falado por todos, principalmente pela imprensa e pelo poder político que busca discursar o problema em épocas relativamente importante para o sistema de manutenção de seus interesses. Fato é que existem milhares de pessoas encarceradas e tidas como a margem da sociedade, lembrando que, estão ali por culpa desta mesma sociedade enraizada em um sistema de exclusão.
            Exemplo vivo e marcante é a vontade de alguns que visam à melhoria do ser humano e seu retorno à sociedade de modo contributivo e esperançoso. É o caso da penitenciária de Joinville, Jucemar Cesconeto. Ali todos os internos, através de trabalho sério e cotidiano, com uma equipe disposta a fazer algo em benefício dessa massa social disvirtuada, que tem a chance de recomeçar. É um exemplo vivo de que o assunto é complexo, porém, não é inalcançável. Que o sistema não está falido, e sim, falida está à vontade de alguns homens de mudar a realidade social. E com isso se mantém o padrão de dar migalhas a sociedade e perpetuar-se no poder. Poder que poderia mudar muita coisa dentro de cada indivíduo.
            É uma instituição bem estruturada, possui ótimos vínculos empresariais e uma finalidade valorosa. E para completar o trabalho, uma demanda interna querendo e tendo esperança de um recomeço e mudança consistentes de vida. Porque é do ser humano chegar a certa idade e começar a ver o mundo como um lugar que ainda pode ser vivido plenamente sem machucar o ser ao lado. Isto prova que falida é vontade de alguns homens mudarem os objetivos sociais.    
 4- JUSTIFICATIVA
O futuro trabalho em serviço social almejadopelos acadêmicos requer não somente a teoria em sala, mas principalmente, as buscar de informações, experiências e realidades vividas pela demanda social, seja em casos de cárcere, sejam em abrigos, sejam em lares de crianças ou idosos. Essa realidade é que vai sustentar o objetivo e busca pessoal de cada aluno.
            Certamente que a visita à penitenciária de Joinville, Jucemar Cesconeto, foi de grande valia para cada aluno. Sendo um local diferenciado pelo trabalho de recuperação dos internos que visa reabilitação e reintegração à sociedade, mostra muito além de livros e relatos o que realmente se passa no objetivo e no espaço trabalhado da penitenciária. Não só pela equipe de trabalho lá existente, mas principalmente, pelos internos em sua busca por algo melhor, e mais, conscientizar os novos futuros profissionais de serviço social a entenderem e abraçar a causa e realmente fornecer ajuda ao próximo, mesmo que dentro das leis e políticas sociais existentes, as quais ainda podem sofrer mudanças para melhor de acordo com a visão de ajuda de cada profissional.
Tendo em vista a necessidade de abordar o conhecimento teórico com a prática, bem como de ampliar campos de estágios para os Acadêmicos do Curso de Serviço Social, proporcionando o contato e o conhecimento dos acadêmicos para com a realidade social dos Internos da penitenciária, o que desencadeará decisões de possíveis estágios futuros, tanto da parte dos acadêmicos como da instituição.

5- DEFINIÇÃO DE OBJETIVOS
ü     Conhecer a Penitenciária Industrial Jucemar Cesconeto, além de suas dependências, também o trabalho das Assistentes sociais.
ü     Definir posteriormente quais alunos de Serviço Social irá Estagiar na unidade.
ü     Identificar o processo de trabalho do Serviço Social na Penitenciária;
ü     Diagnosticar a instrumentalidade e a legislação social que organizam os serviços do Assistente Social na Instituição.

6- DESCRIÇÃO DAS AÇÕES PRIORITÁRIAS
            Formalizar o Convênio de estágio entre Instituições, Uniasselvi e Penitenciária Industrial Jucemar Cesconeto (Estado).

7- METAS
Levar osalunos do 5º semestre de Serviço Social da Uniasselvi/Aupex para conhecer a Penitenciária Industrial Jucemar Cesconeto.
 8- CUSTOS/RECURSOS HUMANOS(equipe técnica necessária)
            Os custos ficarão na responsabilidade de cada Acadêmico, pois a entrada na Penitenciária Industrial Jucemar Cesconetoé gratuita.
9- SISTEMA DE SUPERVISÃO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DAS AÇÕES.
            A supervisão acontece com aProfessora Tutora Jaciane Geraldo dos Santos onde monitora a participação dos Acadêmicos.
10- CRONOGRAMA
            Visita agendada dia 20/09/2011 com a Gerente de Saúde, Ensino e Promoção Social JaquelineFachine (Psicóloga), para inicializar o convênio entre as Instituições Uniasselvi e Penitenciária Industrial Jucemar Cesconeto (Estado).
            Visita agendada dia 06/10/2011 as 16:00 hrs para os Acadêmicos de Serviço social para conhecer a Unidade Prisional.
            Posterior à visita cada Acadêmica fará relatório dando seu parecer sobre a Instituição.

11- RELATÓRIOS

1-VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO 
Entendendo o processo de trabalhos da penitenciária, nota-se grande eficiência de tratamento, desde a entrada, monitorada e vistoriada de cada visitante, até a complexidade de atendimento às necessidades dos próprios internos.  
Percebe-se o compromisso e dedicação dos funcionários envolvidos e sente-se a emoção de quem está interno pelo fato de cerceamento da liberdade.
Com boa estrutura, consegue dar aos internos grande alívio aos dias em que permanece confinado, seja estudando, seja trabalhando ou atuando em prol da própria reabilitação social.
Sidnei


2- VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
Como é maravilhoso ver que há esperança. Que as pessoas podem sim ter suas histórias mudadas. E que há gente comprometida e cheia de amor para ajudar aqueles que para muitos "não tem mais solução". Pensar que a reincidência é de 12% contra 80% da média nacional demonstra a seriedade deste trabalho. Amei fazer essa visita, o que só me deu mais vontade de seguir em frente com o curso. Percebí que o trabalho é muito bem estruturado. As oportunidades oferecidas são excelentes e o assistente  social tem um bom campo de trabalho.
Parabéns Ivone pela iniciativa. Muito obrigada.
Magali

3- VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
              Nesta quinta-feira, dia 06 de outubro de 2011, acadêmicos do curso de serviço social da faculdade Aupex de Joinville, estiveram em visita técnica na Penitenciária Industrial de Joinville a convite da professora Jaciane e aluna Ivone.
          Foram nos passado informações importantes sobre o funcionamento da unidade prisional. Notoriamente sobre os presos, o trabalho que desenvolvem no local e a oportunidade de estudar que a eles é oferecido.
          Pudemos observar que embora se trate de uma Penitenciária, as condições de higiene, assim como toda a estrutura são excelentes. Os presos recebem uniformes, e calçados. Recebem alimentação quatro vezes ao dia. Os trabalhos dos detentos é oferecido pelas empresas, Ciser e Tigre.
A interno que trabalha na biblioteca, organizando a saída e entrada de livros.
          A assistência social que se presta no interior da penitenciaria, em diversos níveis, entre as quais se destacam a assistência material, a saúde, a psicológica, a psiquiátrica e educacional. Composta por uma equipe de professor, médico, dentista, psicóloga, assistente social e enfermeiro, que atendem aos internos.
          Se o interno comprovar que é casado legalmente possui o direito de ter encontros íntimos, inclusive possuindo uma cela especial para tanto. Diversos são os departamentos existente como: refeitório, farmácia, consultório médico e odontológico, salas para atendimento psicológico, e de serviço social, enfermaria, biblioteca, salas de aula etc.
          Contudo, embora nos deparamos com um sistema organizado que caminha para a ideia da ressocialização do preso, ainda deixa a desejar em muitas garantias expressas na Constituição Federal. Fora que essa realidade é mínima, com relação as diversas outras Penitenciárias espalhadas pelo Brasil.  Obrigada pela oportunidade. 
    Clarice Assunção da Silva

4- VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
Parte Estrutural: Realmente fiquei impressionada com a organização e limpeza do local. Tinha uma outra visão antes de conhecer, de certa forma não sei por que pensava em lugar mais sinistro e obscuro em relação as acomodações. Achei bem dividido, lugar para toda fase e para cada situação prezando pela segurança, quanto ao visual achei organizado e bem cuidado como por exemplo colocação de plantas e etc..
            Parte sistêmica: Aqui quero falar em relação ao sistema adotado pela penitenciária ou até mesmo pelo governo como um todo, sinceramente não concordo com tudo, acho que os internos ou pessoas nesta condição (de "pagar" por um ato não correto, ou "recuperar-se de tal ato e se redimir para socializar-se novamente) tem muitos "direitos" e acredito que devem realmente ser cumpridos pois antes de qualquer "ato" são seres humanos diante de Deus e cidadãos normais perante a sociedade com seus direitos e deveres, mas a forma de conscientização de realmente ter feito algo "errado" e que não pode cometer novamente deixa a desejar a meu ver, devido as condições muito favoráveis a tudo, certas "regalias" não deveriam ser oferecidas. É muito delicado falar sobre isso, pois cada caso é um caso, e da mesma forma que eu luto pelos meus direitos e com essa profissão desejo lutar pelos direitos humanos de todos, mas tenho uma visão sobre este assunto que não posso me calar diante do comprometimento de relatar o que vi e o que senti, com verdade. Acho que a vida nesta condição deveria ser mais "difícil" do que a vida em liberdade, e no meu ponto de vista não é.
Parte emocional: Falando com o coração, é tudo muito triste, em pensar que todo esse dinheiro e esforço poderia estar sendo destinado à melhorias ou capacitações! Em pensar que não sei por que motivo, uma criança nasce, cresce... e dentro de uma educação, de exemplo de pais e da sociedade, segue por um caminho tão triste, sem direção, que não lhe acrescentará nada na vida, e a condição para remedir-se é viver trancado em estruturas de grades como verdadeiras jaulas humanas, sofrendo até mesmo preconceitos durante e após sua absolvição, deixando uma família ou amigos desamparados, e tudo isso por falta de que? onde está o começo de tudo? para chegar aonde? em busca do que?
Bom Jaci, não sei se pode ser assim, mas descrevi o que vi e o que senti.
  Alessandra

5- VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
No dia 06/10/2011, nossa colega de sala  a acadêmica Ivone Crispim, organizou uma a visita a Penitenciária Industrial Jucemar Cesconetto ,junto com nossa professora Jaciane, e mais alguns colegas.
De inicio passamos pelos procedimentos para a entrada; Entrega de documento; revista, e prontamente todos os funcionários que tivemos contato se mostraram prontos e muito atenciosos a visita.
 Pudemos conhecer varias dependências explicando e respondendo as perguntas de acadêmicos. Tivemos a oportunidade de escutar a assistente social, psicóloga, pedagoga, terapeuta ocupacional, voluntários entre outros.A Penitenciaria é modelo em nossa cidade pois promove a reintegração social dos apenados. E podemos verificar que o trabalho em conjunto com todos os profissionais ,é muito bem executado.
Apenados tem acesso a saúde com médicos atendendo no local, enfermaria, atendimento odontológico, com consultório na própria penitenciária. A educação com sala de aula, oferecendo cursos profissionalizantes, oficinas, outros, alguns podem sair para estudar fora, por bom comportamento e autorização judicial. E ao trabalho renumerado, onde muitos deles trabalham dentro da própria penitenciária com parcerias de empresas da cidade, recebendo um salário mínimo, e um quarto deste salário fica na penitenciária e é usado para a melhoria das instalações, e o restante encaminhado a familiares (apenado determina quem fica com o restante).
Realmente o sistema prisional preceitua a Lei De execução Penal as garantias expressas na Constituição Federal (dignidade humana).E que outras cidades se espelhem na nossa, para olhar os apenados como seres humanos, que precisam de oportunidades para a ressocialização.
Obrigada Ivone e Jaciane por esta oportunidade.
Luiza Schafaschek.

6- VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
Tendo em vista os direitos sociais, a Penitenciária  Industrial Jucemar Cesconetto está de parabéns! Direito a educação, alimentação saudável, trabalho, lazer, saúde, segurança, enfim; os internos têm vivenciado os direitos essenciais para uma vida digna dentro da Penitenciária.
Crislândia

7- VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
        A penitenciária   industrial é um meio de reaproximar o detento da sociedade, embora seja difícil a aceitação do mesmo  de maneira rápida e natural, aqui fora. O detento  aprendendo, trabalhando, estudando está  em  atividades constantes para ocupar o tempo, e se reintegrar a  sociedade seria muito bom se todos os presídios usasse esse mecanismo  para reabilitar o detento a enfrentar a vida  aqui fora.  Um detalhe que me chamou a atenção  foi a visita de uma esposa com dois filhos pequenos, o que esse pai e essa mãe dizem a esses filhos? Essa família tem acompanhamento psicológico?  Muitos desses filhos são concebidos dentro da penitenciaria. O detento tem uma assistência abrangente, que infelizmente muitas pessoas  que batalham o dia a dia aqui fora não tem.
 Maria Leonilda

8- VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
Ao chegar ao local fiquei admirado com a quantidade de alunos, porem fiquei muito feliz em saber do interesse e da ansiedade de cada um em entrar pela primeira vez num lugar onde as pessoas são privadas do seu direito de liberdade. Quanto ao local e sua estrutura achei fantástico, o atendimento dos funcionários ao grupo e o carinho expressado a colega da turma senhora Ivone foi algo inesquecível. Lembro ainda que após passarmos pela revista, o sentimento de ansiedade e medo estampado no rosto de algumas colegas me chamou muito a atenção, pois o que para mim parecia ser algo normal, para elas era totalmente ao contrario, estavam nervosas e tensas caminhando pelos corredores com cuidados, parecendo estar numa passarela com medo de sair dos saltos. Fazendo uma pequena analise do que foi visto quanto às oficinas, refeitório, lavanderia, odontologia, enfermaria e local para encontros íntimos, porem fiquei impressionado com tontos benefícios oferecidos aos internos e tenho certeza que a maioria deles fora da penitenciaria não usufrui de tantas mordomias, principalmente na área da saúde e odontologia. Quanto as refeições posso afirmar que são muito boas, pois já tive a oportunidade de fazer algumas dentro dos presídios, quando presto trabalho de artesanato voluntario nos mesmos. 
No encerramento da nossa visita, quando nos reunimos próximos da porta de entrada onde cada aluno teve a oportunidade de falar uma palavra, eu mencionei a palavra família porque naquele momento eu me coloquei no lugar daquele pai que está com o seu filho encarcerado, pensei no seu sofrimento, na sua angustia, no seu constrangimento de passar por uma revista minuciosa para ter o direito de por alguns minutos visitar aquele que é fruto do seu amor.
Concluindo foi muito valida essa experiência não só para o meu estudo, como também para a minha vida.
 DIAC. JOSÉ JUAREZ SILVA

9- VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
            Inicialmente fiz contato com a Direção para autorização da visita na Unidade com data e horários definidos dia 06/10/2011 as 16h00minhrs.
            Em seguida convidamos os Acadêmicos de Serviço Social 5º semestre da Uniasselvi/Aupex para a visita.
            Na data e horário previstos fomos recepcionados pela Gerente de Saúde, Ensino e Promoção Social Jaqueline Fachine (Psicóloga), onde nos acompanhou pela Unidade explicando passo a passo dos procedimentos.
            A Penitenciária Industrial Juscemar Cesconeto é gerenciada Pelo Estado e seu atual Diretor é Richrd Harrison Chagas dos Santos, e administrada pela Montesinos Administração Prisional, onde faz a Segurança e Manutenção da Unidade, com a capacidade de 366 Internos.
ESTADO
O Estado consta com as seguintes Gerências:


·        Gerência execuções penais.
·        Gerência apoio operacional
·        Gerência saúde, ensino e promoção social.
·        Gerência atividades laborais
·        Gerência revisão criminal.



MONTESINOS
A Montesinos Administração Prisional, mantem os seguintes profissionais:


·        Gerencia
·        Supervisor de segurança
·        Chefes de segurança
·        Assistente Social (2)
·        Psicólogo (2) + 1 estagiária.
·        Psiquiatra (1)
·        Terapeuta Ocupacional (1)
·        Médico (1)
·        Técnico de Enfermagem (1)
·        Enfermeiro 24 horas.
·        Dentista (1)
·        Pedagoga (1)
·        Nutricionista (1)
·        Agentes de Disciplina (110)





A Penitenciária Industrial Juscemar Cesconeto recebe somente Internos já julgados cumprindo Pena. São recepcionados na Eclusa, onde recebem todas as orientações do Diretor ou Supervisor de Segurança, recebe seu kit (2 camisas, 1 bermuda, 1 calça, 1 moletom, cuecas, meias, colchão, travesseiro, roupas de cama, cobertor, material de limpeza escova e pasta de dente, 1 prato, 1 caneca e 1 colher), troca sua roupa corta o cabelo, seus pertences fica no setor de Censura, o mesmo é encaminhado a sua sela, com sua matrícula já definida.
Após uma semana a equipe técnica deve fazer uma avaliação de triagem, para avaliar suas necessidades. E ao Longo dos três meses de casa a Equipe técnica no CTC (Assistente Social, Psicóloga, Psiquiatra, Segurança, Judiciário, Técnico de Enfermagem) avalia as condições se o Interno pode ou não trabalhar e/ou estudar. Essa avaliação é feita por bom comportamento, suas reais condições familiares, e seu próprio interesse.
TRABALHO
A Unidade conta com 11 oficinas de trabalho, onde dos 366 Internos efetivos 233 estão trabalhando, cada Interno ganha um salário mínimo por 6 horas diárias trabalhadas e 6 dias por semana. Desse salário mínimo 25% ficam para o Fundo Rotativo (melhoria p/ os Internos), e 75% são liberado p/ o Interno quando sai de Portaria (7 Dias) ou libera para a Família, além de que cada 3 dias trabalhados a 1 dia de remissão. 
Empresas Conveniadas:


·        Tigre
·        Ciser
·        Schultz
·        Montesinos
·        Panificadora Maycon
·        Nutribem
·        Artbor

·        Firstline
·        Socelplast
·        Viqua
·        Construtora Itajuba



A Penitenciária Industrial somente oferece espaço físico energia elétrica, fica a responsabilidade das empresas manter o local de trabalho, com segurança dentro das leis trabalhistas fornecendo maquinários e material de trabalho para produção inclusive roupa adequada dentro das normas de segurança em vigência, além do salario mínimo por Interno.
EDUCAÇÃO
Na Educação é oferecido para os internos:
·        Alfabetização
·        Ensino fundamental
·        Ensino médio.

A Prefeitura Municipal de Joinville (EJA) com a Educação de Jovens e Adultos e do Pro jovem Urbano com supervisão das atividades da Secretaria Municipal da Educação.
Em média estudam 100 Internos de 2º a 5º nos horários matutino e noturno.
            Os Professores são pagos pela Prefeitura Municipal de Joinville e oferecem aulas iniciais, EJA primeiro segmento, Telessala 5º a 8º série e pro jovem Urbano.
PROJETOS
            Projetos em andamento:


·        A um passo da liberdade
·        Projetos com estagiários da ACE
·        Grupo apoio a dependentes químicos
·        Grupo vencendo barreiras
·        Oficina terapêutica de artes e música
·        Dia do desafio.
·        Biblioteca.



·        Informática.




VISITAS
            As visitas são realizadas todos os dias da semana de 2º a 2º feira, no período matutino das 8:00 as 11:30 e vespertino das 13:30 as 17:00 horas. Cada dia a visita é de um determinado Artigo (definição do Assistente Social). Pode entrar até 6 visitas para cada Interno, sendo Pai, Mãe, Irmão, Esposa e filho desde recém nascido desde comprovado legalmente(parentes 1º grau).
            As visitas são em conjunto no pátio de visitas, Internos e Familiares se juntam em confraternização, no período matutino e/ou vespertino.
Visita Intima; são 10 quartos equipados com cama, chuveiro quente, ventilador, cada quarto recebe roupa de cama (lençol, fronha, 3 preservativos, papel higiênico e sabonete), com 2 horas de atividades. As visitas acontecem nos dias: 6º feira, sábado, domingo, 2º feira e 3º feira das 7:30 as 17:00 horas.
            A Penitenciária Industrial Juscemar Cesconeto está preocupada com a reintegração e ressocialização criando oportunidade de trabalho, estudo, cursos profissionalizantes, e integrando a família para com o Interno através de seus profissionais dando ênfase as Assistentes Sociais que tem o acesso com os familiares para informações de qualquer situação necessária do Interno, lembrando que todo o processo se dá com Segurança através dos profissionais capacitados que a Montesinos oferece.
“O Sistema Prisional é, senão o mecanismo mais importante, o mecanismo chave na busca pela redução da criminalidade, pois é no interior das casas prisionais que se concentram todas as informações, fontes e ferramentas necessárias à identificação do problema. Lá esta o homem, o crime o criminoso”Richard Harrison Chagas dos Santos (Diretor Da Penitenciária Industrial Juscemar Cesconeto).

ALUNA:IVONE RECH CRISPIM

10-VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
 A visita a penitenciaria industrial do município de Joinville de administração do estado em parceria com a iniciativa privada, foi de grande valia pois desmistificou alguns preconceitos particulares e sanou duvidas, principalmente na área técnica do AS. Com o relato da AS da instituição pude ter noção na integra do trabalho e os principais instrumentos utilizados para a execução do trabalho. A estrutura física e de ótima qualidade e a equipe multiprofissional é completa, dando assim a oportunidade ideal ao interno de ressocialização a sociedade ficando a critério do individuo a escolha do que ele quer para a sua vida.
A minha critica é que os investimentos públicos deveriam ser igualitários para todos os usuários de uma rede. Pois não sei se meus colegas conhecem a realidade da saúde publica de nossos hospitais, não precisamos ir muito longe basta fazer uma visita ao hospital do município de Joinville onde a estrutura física e o descaso com cidadãos de bem é total, onde seus direitos são totalmente violados, e o que foi que eles fizeram? Nada, são trabalhadores, aposentados na maioria das vezes, não é justo o usuário que precisa de dentista, ter muitas vezes esperar por meses para realizar uma consulta, sendo que o interno da penitenciaria tem dentista todos os dias, não digo que o interno não tenha direito a assistência seja ela qual for, mas temos que concordar e refletir que existe algo de errado?
Stela Vivian Martin
  
11-VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
Podemos perceber o quanto pode ser feito em um sistema penitenciário pelas assistentes sociais para garantir o acesso a benefícios que eles necessitam.
            Porém nem tudo tem aquele resultado esperado é o caso do trabalho junto à empresa, pois aqui fora a historia é outra eles tem muita dificuldade em reconstruir uma vida longe do crime, pois eles sofrem muito preconceito o que acaba resultando em reincidência ao crime.
            Mas mesmo assim é valida a intenção que tem o objetivo de resgatar a identidade do interno para um melhor convívio social.
            A atuação das assistentes é muito importante para os internos, trás para eles um alivio em saber que alguém está preocupado em proporcionar a eles condições melhores de se viver.
            Na verdade tudo de melhor que for proporcionado para os internos reflete para nós mesmos, pois influencia diretamente em nosso cotidiano.
            O cumprimento da pena deve ser um período de aprendizagem de oportunidades de ressocialização e de muita oportunidade, oportunidade que deveria ter sido dada enquanto ele estava como nós cidadãos livres, que tem direito a educação de qualidade trabalho e condições básicas de vida.
            E por ser tão difícil de alcançar esses ideais e que a profissão e a atuação do profissional de assistência social devem em todas as áreas lutar ardentemente para que as leis que nos garantem no papel tantos direitos sejam levadas a sério e acima de tudo sejam cumpridos.
DeisiCinaraHames

12-VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
Relatório referente visita técnica realizada a Penitenciária Industrial de Joinville.
* A princípio o sistema impressiona tanto pelo fator físico, ambiental e sócio-educativo, existe  conexão entre os setores, muito bacana mesmo.
* O Serviço a nós apresentado demonstra muita segurança e receptividade pelos apenados, visto que possibilita que tenham condições de estudar, trabalhar, receber pagamentos e ainda redução de pena.
* É claro que se estão inseridos nesse ambiente é porque cometeram algum delito e esta oportunidade a eles oferecida, eu considero como sendo excepcional, pois prepara para a reintegração ao meio social. 
* Aprendi muito nesta visita e até me sinto a vontade para dizer que o ambiente de trabalho do Assistente Social é seguro e gratificante que eu não teria restrição em exercer a função lá, pois transmite muita segurança.
Relatório referente visita técnica ao Abrigo Infanto Juvenil de Joinville.
* A receptividade também neste ambiente foi bastante agradável, visto que lidam com a questão humana, pequenos seres, mas já tão sofridos, entre eles percebe-se também união e carinho pelos educadores e Assistentes Sociais. 
* É uma atividade que requer bastante dedicação e perseverança por parte dos responsáveis, tem movimento o tempo todo, tem organização, integração e muita responsabilidade.
* Nas dinâmicas que realizamos com as crianças, percebi que ela tem muita carência afetiva,


algumas chegam e pegam na mão, abraçam e parecem gostar de receber visitas no abrigo, fiquei um pouco abalada por saber de alguns dos casos que levaram estas crianças a ficar no abrigo, talvez mais tarde quando a prefeitura tiver condições de manter o quadro de funcionários completo com psicólogos, terapeutas e mais AS. Possa haver mais resoluções de casos, para que quando completarem a maior idade não seja retirado do abrigo, pois lá para alguns é o único lar que chegam a conhecer, conviver com respeito, carinho, educação, e tudo que tem direito.
* Foi muito bom estar lá e participar da vida deles mesmo por tão pouco tempo foi legal.
Marlise Graf – 


13-VISITA A PENITENCIÁRIA DE JOINVILLE JUCEMAR CESCONETO
O ASSISTENTE SOCIAL NO SISTEMA PRISIONAL( PENITENCIÁRIA)
O Serviço Social em seu objetivo deve proporcionar aos internos e egressas do sistema prisional atendimentos, encaminhamentos, socialização, ressocialização, singularização, re – singularização e inclusão no convívio social. Garantindo humanização nos atendimentos, além de prestar assistência aos internos e suas famílias, socializando informações produzindo subjetividade através da sensibilização em atendimentos de qualidade.
Sendo assim, o Serviço Social é articulado teórica e politicamente às prioridades colocadas pela política prisional e conta com profissionais capacitados para elaborar e executar políticas sociais, projetos sociais, preventivos e educativos e realizar pesquisas paralelamente com a rede das relações em que se organiza a vida prisional.Em seu local de trabalho dentro da Unidade Prisional no setor Psicossocial, o profissional estuda e analisa a realidade social das internas para que lhes seja garantido o acesso às informações e que os benefícios propostos venham ao encontro de suas necessidades, e com a intervenção do profissional deve ter como norte o objetivo de contribuir para o resgate da identidade e a possibilidade de convívio social dos internos.
Tania Maria Josino da Silva